Entrevista com Marlene Monteiro Lemes

Este mês, visitamos a Associação Espírita de Americana, localizada a Rua Olavo Bilac, 303, no bairro Vila Jones, onde fomos recebidos com muita atenção pela presidente Marlene Monteiro Lemes.

Professora aposentada, casada, dois filhos e cinco netos, Marlene assumiu a presidência da casa no início do ano de 2012, depois de três anos na vice-presidência. Natural de Dracena/SP, mudou-se para Americana em 1973. Assessora do DOD – Departamento de Orientação Doutrinária, da USE I Americana, na última gestão, recentemente, Marlene também foi eleita presidente da USE Intermunicipal de Americana e Nova Odessa.

IPV – Marlene, como você começou no espiritismo?

- O meu primeiro contato com a Doutrina Espírita foi através do meu cunhado. Ele gostava muito de ler livros espíritas e eu muito curiosa sobre o assunto, fazia-lhe inúmeras perguntas. Um dia, ele trouxe o livro Nosso Lar, que após a leitura me abriu os horizontes de entendimento, me instigou ainda mais a vontade de conhecer sobre a doutrina. Nesse período, li outros livros indicados por ele e passei a frequentar o centro espírita para ouvir as palestras e tomar o passe.

Depois de um tempo, me mudei para Americana. Certo dia, eu passava pela Rua Cândido Cruz, em Americana e me chamou a atenção uma livraria espírita. Como eu gostava de comprar livros espíritas, estacionei o carro e entrei. Fui recebida pelo senhor Jayme Valim, que já na época frequentava a Associação Espírita de Americana. Passamos um bom tempo ali conversando, e ele me convidou para conhecer o trabalho desenvolvido na Associação Espírita de Americana.

Quando passei a frequentar a casa, conheci o meu anjo da guarda encarnado, o senhor Arlindo Valim, que começou a me incentivar na realização do trabalho com a evangelização infanto juvenil.  A princípio, eu relutei um pouco, pois eu gostava muito de ouvir sobre as explanações do evangelho. O senhor Arlindo Valim que me orientava com muita firmeza e com muito amor, acabou me direcionando para esse trabalho que foi um marco na minha vida – um dos períodos de maior aprendizado para mim. Foi assim que adentrei na doutrina.

IPV – Você pode nos falar um pouco sobre a história da Associação Espírita de Americana?

- A Associação Espírita de Americana (AEA) foi fundada em 07 de novembro de 1946 por um grupo de espíritas compadecidos com a situação de famílias itinerantes que chegavam à cidade, inúmeras vezes portando crianças pequenas, enfermos e idosos, que decidiram unir forças, propondo um movimento de todos os núcleos espíritas da região – daí o nome Associação Espírita – para a fundação de um albergue noturno que propiciasse a pernoite e a alimentação para as famílias em trânsito, oriundas de outras áreas do estado e do país, que buscavam assentar-se pelas cidades da região, lutando por melhores condições de vida.

Por 46 anos consecutivos, a AEA manteve o departamento Albergue Noturno, até então o único serviço para este fim na cidade de Americana. Foram milhares as pessoas atendidas em quase meio século de lutas acerbas, consolidando a imagem de fraternidade espírita cristã da AEA.

Atendendo a necessidades prementes da Caravana “Auta de Souza”, um trabalho voluntário e pioneiro realizado em bairros periféricos da região, em 1972 a AEA fundou o Departamento Clube Maria de Nazaré, para assistir e capacitar gestantes desassistidas e seus familiares, e, em 1982, o Departamento Casa do Caminho, voltado para grupos familiares em situação de miséria e fome. Ambos sempre objetivaram assistir integralmente às gestantes, crianças e famílias inteiras, necessitados de apoio e estímulo ao desenvolvimento dos valores da vida humana, da vida em sociedade, bem como de recursos materiais básicos à sobrevivência.

Em 1994 concretizou-se o sonho da fundação de uma Escola de fundamento Espírita. Nasceu o Centro Educacional Arlindo Valim dando a oportunidade do ensino a crianças de 2 a 6 anos de acordo com as Leis de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, visando não só o desenvolvimento do intelecto, mas a formação do homem integral do ser, do cidadão.

Atualmente, a AEA passa por uma reestruturação das suas atividades.

A escola precisou ser fechada em 2010, por falta de recursos financeiros da sua manutenção.

Investimos nesse período, na Oficina de Elétrica, em parceria com CMAS e SENAI.

Com a mudança da Lei de Assistência Social a Oficina de Elétrica, sem recursos para continuidade, foi fechada.

Passamos desenvolver com as famílias, um trabalho independente, todo voltado para a promoção do ser humano, enquanto pessoa e cidadão. Oferecemos a evangelização, e com a ferramenta do teatro e de dinâmicas de grupo, trabalhamos também o fortalecimento de vínculos sociais e familiares.

Em abril, iniciamos o curso de Auxiliar Administrativo, aos sábados, e vamos implantar para o segundo semestre desse ano, em parceria com o SENAI, o curso de Auxiliar de Contabilidade. Todos com 60 horas de duração.

Temos o Tudo Serve Bazar, que fica na Rua Washington Luiz, 1110, na Vila Jones, que recebe doações e comercializa produtos seminovos, como fonte de recursos materiais para as ações sociais e manutenção da casa, além dos Eventos.

Todas as atividades doutrinárias da casa são desenvolvidas as segundas, terças, quartas, quintas e sábados.

IPV – Quais são as atividades ou projetos que você tem para a casa, seja na parte doutrinária, ou na estrutura física?

- Frustrados com os seguidos abrir e fechar das atividades, decidimos fechar para balanço, para repensar sobre as reais necessidades da casa.

Após reflexão, decidimos focar toda a nossa atenção na doutrina, razão da casa existir. Fazer todos os investimentos necessários nas atividades doutrinárias. Paralelo a tudo isso, fazer pequenas reformas necessárias no prédio e na manutenção do mobiliário da casa.

Para os anos seguintes pretendemos focar nossa atenção e recursos na construção de salas no espaço ocioso que temos na AEA.

IPV – E como tem sido a experiência de presidir a USE Intermunicipal Americana e Nova Odessa?

Fui para a USE I para representar a AEA em meados de 2009. Com a doença do Dr. Julio Laurentino de Lima, responsável pelo DOD, me disponibilizei até a sua recuperação, para fazer as Escalas de Palestras da USE I. Com o desencarne do Dr. Julio, assumi a convite do Presidente Marcus Silva Agostineto, o Departamento de Orientação Doutrinária – DOD. E em 31 de março p.p. fui eleita Presidente da USE I.

Sou grata a Deus pelas inúmeras oportunidades que me proporcionou de aprendizagem. Sou grata aos companheiros da USE I pela confiança em depositar em minhas mãos esse trabalho tão grandioso e desafiador e conto com o apoio da espiritualidade e de todos espíritas da nossa região para a realização dessa tarefa que é de todos nós.

Nesse momento, os departamentos da USE I estão empenhados em traçar o planejamento de 2012 a 2015, pensando em fortalecer cada vez mais a representatividade da USE em nossa região e no envolvimento maior das casas nesse movimento.

Pretendemos trazer nomes importantes do movimento espírita, organizar eventos maiores que os centros espíritas não têm condição de realizar isoladamente. Paralelamente, os departamentos farão os seus trabalhos de apoio, de orientação e esclarecimento às casas espíritas.

Estamos reativando o Departamento de Serviço Assistencial, que poderá ser muito útil às casas espíritas.

IPV – E a respeito da mídia, como você está vendo o crescimento do Espiritismo depois de filmes como Nosso Lar, o filme do Chico Xavier? Você acha que está havendo um maior interesse e procura pela Doutrina?

O Espiritismo passou por fases. Primeiro, a fase da curiosidade, da descoberta dos fenômenos, depois a fase filosófica com a abertura dos Centros Espíritas e o estudo da doutrina, e agora estamos na fase das atitudes, da vivência do que aprendemos. É natural que esse momento tenha chegado e que os encarnados dessa hora estejam atuando para a implantação desse novo mundo. O amadurecimento dessas ideias, tem facilitado essa disseminação. Os meios de comunicação perceberam que existe público para esse assunto e estão explorando em novelas, em peças de teatro, etc.

No dia 01 de julho de 2012, receberemos em Americana, Renato Prietro, com a peça O SEMEADOR DE ESTRELAS, contando a vida de Divaldo P. Franco. Essa apresentação será às 20h00, no Teatro Paulo Autran. Contamos com o apoio de todos.

Sobre o C.E. Seareiros de Jesus

Centro Espírita Seareiros de Jesus Rua. Silvino Bonassi, 150 – Nova Americana / Cep: 13466-080 – Americana – São Paulo Tel 19 3407-4552 / E-mail: seareiros@seareirosdejesus.com.br

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Scroll To Top